Pilates alivia cólicas e inchaços da TPM

22/03/2018

Cerca de 50% das mulheres em idade fértil sofrem de tensão pré-menstrual e de incômodos e dores durante a menstruação. Entre os sintomas mais comuns estão cólica, inchaço (principalmente nas mamas), dor de cabeça e dor na lombar.

Com base nestes dados, pesquisadores da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, testaram a prática de Pilates no combate a tanto mal-estar na vida da mulher. Durante quatro meses, 20 mulheres voluntárias e sedentárias praticaram Pilates duas vezes por semana. No segundo mês, relataram uma diminuição significativa dos sintomas. No final da pesquisa, todas garantiram que as dores tinham menos de 10% da intensidade do início.

Resultados parecidos foram obtidos em um estudo do Instituto de Ensino Superior de Londrina (PR). O acompanhamento de uma paciente com sintomas severos indicou a redução de dores do nível 5 para nível 1, em uma escala de 0 a 10, após a adoção de aulas de Pilates.

Fora do mundo acadêmico, a contadora Aline Boff conta que suas cólicas menstruais sumiram depois que ela aderiu às aulas de Pilates, em 2016. “Eu tinha dores incapacitantes, chegava a precisar faltar no trabalho. A ginecologista sugeriu que eu tentasse o Pilates e deu muito certo”, diz. E a fisioterapeuta Carol Aliano, professora de Pilates do estúdio Pure Pilates, em São Paulo, afirma que em cerca de dez aulas suas alunas já percebem a melhora da flexibilidade e a diminuição dos sintomas da TPM.

Tudo isso porque o Pilates trabalha músculos e respiração na medida certa. Vem entender melhor!

Musculatura firme “segura” as cólicas…
A redução das cólicas está ligada principalmente à tonificação do abdome e da região pélvica. Carol esclarece: “O Pilates trabalha diretamente essas regiões. Quando o útero se contrai na TPM e durante a menstruação para expelir o sangue, encontra músculos já firmes e naturalmente contraídos, que impedem as cólicas.”

Liberação de hormônios ajuda no processo
Fernanda Affonso, fisioterapeuta e professora de Pilates da Beauté Clínica Estética e Pilates, destaca a importância da produção de hormônios nas melhorias promovidas pela modalidade. “A prática do Pilates melhora a circulação sanguínea, liberando hormônios como a endorfina, responsável pela sensação de bem-estar. Funciona como um analgésico”, compara.

Oxigenação do sangue diminui inchaços e irritabilidade
Paralelamente ao trabalho muscular, o Pilates foca bastante na respiração. Existe todo um desenvolvimento da atenção à inspiração e à expiração, para que o equilíbrio corporal seja encontrado. O efeito colateral positivo é o sumiço dos inchaços da TPM. “Inala-se mais oxigênio, ele é bem distribuído pelo organismo, o sangue circula melhor. A concentração líquida nos tecidos e o inchaço diminuem”, explica Carol.

A respiração corrigida também ajuda na liberação de hormônios do prazer e melhora aquela sensação de estar eternamente irritada no período menstrual, além de eliminar as dores de cabeça.

Quer mais uma vantagem de respirar com atenção no Pilates? A consciência corporal faz com que os músculos sejam relaxados, alongados e colocados nos eixos com naturalidade, o que aos poucos diminui as dores da lombar.

Manter a frequência para manter os efeitos
No estudo brasileiro mencionado acima, alguns autores associam os sintomas da TPM à pouca prática de atividades físicas. Por isso, as especialistas recomendam que as aulas de Pilates sejam mantidas mesmo quando cólicas, inchaços e dores ainda forem uma realidade, lá no começo.

Fonte: https://mdemulher.abril.com.br/saude/pilates-colicas-inchacos-dores-tpm-menstruacao