Otimismo é tudo para uma vida equilibrada e harmônica

18/05/2017

Tudo é uma questão de ponto de vista. O fato é que encarar a vida de maneira positiva e enxergar as dificuldades como desafios garante mais saúde e longevidade, segundo novas evidências científicas.

Ser otimista é acreditar que o futuro reserva boas perspectivas e que é sempre possível encontrar uma solução para as adversidades.

Para isso, é preciso analisar cenários, avaliar riscos e buscar saídas para um desfecho positivo, sem desanimar diante dos obstáculos.

Olhar a vida por esse prisma não só promove bem-estar mental como faz muito bem ao corpo.

Quem pensa positivo costuma fumar menos, se alimentar melhor e se exercitar mais, sem contar que tem menor tendência a desenvolver depressão, estresse e pressão alta.

Otimismo requer muita sensatez, consciência das limitações e capacidade de encarar a realidade, de buscar alternativas para contornar um impedimento. Para isso, é preciso conhecer suas próprias habilidades, fraquezas e o contexto de determinada situação.

Autoestima, inteligência emocional, determinação, persistência e coragem, portanto, são características fundamentais nesse processo.

Na maioria das vezes, o indivíduo passa a imaginar que seus projetos nunca serão bem-sucedidos e desiste de tentar, o que elimina de vez qualquer chance de êxito. Daí, a decepção torna-se frequente.

É claro que desilusões, perdas e insucessos pontuais podem deflagrar um pessimismo temporário.

No entanto, se a pessoa passa a se comportar como se sempre tivesse uma nuvem negra sobre a cabeça, esse dia-a-dia nublado se torna um indicador de distúrbios psiquiátricos como depressão, transtorno de pânico ou distimia, o mau humor crônico.

Nesses casos, a recomendação é buscar o auxílio de um profissional especializado em saúde mental. A psicologia costuma dar uma boa contribuição.

A terapia cognitiva ensina o paciente a mudar a forma de interpretar os fatos, e a terapia comportamental lhe fornece elementos para que ele aprenda a substituir as reações antigas por outras mais saudáveis.

Fonte: http://www.vidaplenaebemestar.com.br