13 dicas para cuidar de cães no verão

29/12/2016

Os cachorros não transpiram como os seres humanos, eles controlam a troca de calor do corpo e mantém a temperatura ideal através da respiração. Por isso, o ato de respirar rápido com a língua para fora indica não só que o pet brincou muito ou está cansado, mas também que ele pode estar com calor. Passar muito tempo ofegante com a linguinha para fora é o primeiro sinal de que o calor pode estar incomodando o cachorro.

Outros sinais são: deitar-se em locais com piso frio com as patas traseiras esticadas, beber muita água, ficar mais quieto que o habitual e procurar sempre por locais cobertos.

Cães muito peludos e de regiões onde o inverno é bem rigoroso como Husky Siberiano, São Bernardo, Bernese e Chow chow tendem a sentir mais calor que os cães de pelagem curta como vira-lata, pinscher e dachshund.

Há também os cãezinhos braquicefálicos, aqueles que possuem o focinho achatado: pugs, buldogues, boxer, shih tzu, etc. Pela anatomia , essas raças possuem maior dificuldade para respirar e também trocar calor com o ambiente

Além de conhecer melhor os hábitos, a rotina, a personalidade, as características da raça de cada pet e observar seu comportamento em dias quentes, você também precisa saber o que pode e o que não pode fazer para ajudar seu amigo peludo a curtir o verão.

O que fazer:

  • Água fresca à disposição: durante o verão os cãezinhos bebem muito mais água, além dela ficar quente em pouco tempo. Por isso, abasteça constantemente o potinho de água do cachorro com água fresca. Em dias muito quentes vale até colocar uma pedrinha de gelo dentro do pote para manter a temperatura da água agradável por mais tempo.
  • Alimentação nos horários mais amenos: pelo calor excessivo pode ser que o cãozinho não sinta vontade de comer nos horários habituais. Por isso, ofereça a comida nos horários em que a temperatura está mais amena, preferencialmente logo de manhã ou ao anoitecer. Se ele estiver acostumado a consumir alimentação natural ou rações úmidas, siga o mesmo procedimento. Devido ao calor elas podem estragar se ficarem muito tempo expostas e prejudicar a saúde do pet.Passeios em horários diferenciados.
  • Muitos cãezinhos adoram passear e para que eles possam manter essa rotina, você deve levá-los para dar uma volta em horários onde a temperatura não está tão alta e a incidência do sol é menor. Preferencialmente saia com os pets antes das 10h da manhã e após as 17h. Assim você evita que eles fiquem excessivamente cansados, ofegantes e que eles queimem as patinhas.Três formas de evitar machucado nas patas no verão são:
    • Testar a temperatura do chão antes com o pé ou a mão. Se estiver muito quente, não saia com o pet;
    • Passear com o cãozinho em locais gramados. A grama é bem mais fresca que o asfalto e não causará possíveis queimaduras nas patinhas;
    • Utilizar sapatinhos próprios para pets. Eles protegem as patinhas das altas temperaturas e possibilitam passeios pelo bairro. Mas fique atento pois sapatinhos não permitem que o animal troque calor pelas patas, que é outro local importante de resfriamento do corpo. Por isso, tire os sapatos se perceber que ele está ofegante demais ou assim que chegar em casa.
    • Banhos e tosas;

    Nessa época, os banhos devem ser mais frequentes para refrescar os pets. Lembre-se apenas de secá-los para que a umidade não colabore na proliferação de fungos.

    É interessante, também, tosar o seu cachorrinho antes do verão começar. Isso diminuirá o tamanho de pelos e, consequentemente, o calor. A tosa não é indicada para algumas raças, e isso deve ser respeitado. Vale lembrar, também, que a tosa muito curta em animais de pele branca pode exigir cuidados extras com proteção solar.

    Uma opção para cães muito peludos é tosar apenas a região da barriga (tosa higiênica). Assim, ela ficará com menos pelos e, quando o cachorro deitar no chão, a pele terá maior contato com o piso frio, ajudando-o a aliviar o calor.

    Fonte: http://blog.doghero.com.br/